PLACENTA

A placenta é um órgão incrivelmente precioso e completo, e é o único órgão “usa e joga fora” que temos. Representa as raízes da criança no terreno da mãe. É feita de dois organismos diferentes e incompatíveis, mas funciona como um único órgão, em completa harmonia. Faz todas as funções de um corpo humano.
É pulmão, fornecendo à criança o oxigênio.
É coração, ajudando-a a movimentar a massa sanguinea e mantendo a circulação entre ela e a mãe.
É rim, depurando e regulando os líquidos em seu corpo.
É aparado digestivo, procurando e fornecendo comida.
É glândula endócrina, produzindo todos os hormônios necessários à manutenção da gravidez e ao crescimento da criança.
É cérebro, guiando com inteligência o sistema informativo entre mãe e bebê, e elaborando todos os dados.
É sistema imunitário, fornecendo à criança anticorpos, linfócitos e macrófagos, as grandes células que podem destruir ou construir o tecido, os monstros tão temidos pelo embrião.
Coordena um próprio sistema neurovegetativo.
É também a fonte do líquido amniótico e o renova a cada duas horas completamente.

A placenta é um órgão ativo, tem capacidade de bombear glucósio e oxigênio para a criança, conforme suas necessidades. Até o nascimento faz parte integrante do corpo da criança, também na sua parte materna. A placenta conserva o grande segredo da contemporânea unidade e dualidade entre mãe e bebê.

No momento do nascimento, a placenta continua desenvolvendo todas suas funções, ajudando a criança a regular seu metabolismo e seu organismo até o ponto de equilíbrio; a partir daí ela pode seguir autonomamente. Quando os pulmões respiram, quando o coração consegue regular a circulação sozinho, quando a criança recebe açucares, substâncias nutritivas e anticorpos do seio materno, quando os ácidos produzidos pelo parto são descarregados e os rins da criança funcionam, então (e somente então) pode-se deixá-la. Naturalmente, se o cordão permanecer íntegro.

Quando a criança não precisa mais da placenta, não somente interrompe a comunicação, e portanto a circulação, mas faz destacar a placenta do corpo materno e a faz expelir. Somente então é o momento para cortar o cordão umbilical.

Certamente a placenta é um órgão precioso que merece respeito, atenção e conhecimento.

Fonte: http://www.amigasdoparto.org.br/2007/index.php?Itemid=75&id=58&option=com_content&task=view

FAQ sobre placenta: http://www.amigasdoparto.org.br/2007/index2.php?option=com_content&do_pdf=1&id=270

Rituais e costumes lgados a placenta: http://www.amigasdoparto.org.br/2007/index.php?option=com_content&task=view&id=311&Itemid=74

Esse assunto nos foi dado em uma aula prática que tratava de vilosidades coriônias e placenta, fui pesquisar e descobri que povos antigos tem rituais com a placenta e a idolatram como sinônimo de vida, que se pensarmos bem ela realmente garante a vida do bebê na vida intra uterina, é impressionante como algo tão pequeno pode ser tão importante, funcionando como várias funções vitais do feto.

Galeria de imagens sobre placenta

~ por seikienokawa em outubro 6, 2008.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: